Tecidos em malharia: Como vivemos sem eles?

0

Malharia, na indústria têxtil, é o setor responsável pela transformação do fio, proveniente da fiação, de tecidos em malharia. As propriedades elásticas das malhas são as responsáveis por grande parte da aceitação dos consumidores por peças de roupas confeccionadas neste tecido, em especial os artigos que ficam em contato direto com a pele, como: meias, roupas íntimas, pijamas, calções, artigos esportivos (agasalhos, uniformes), moda praia, entre outros.

tecidos-em-malharia-produção-tecelagem

Atualmente, o setor de tecidos em malharia atende aos mais diversos setores de produtos têxteis, indo da decoração e uso domésticos, como toalhas de mesa, cortinas, colchas e rendas, até aplicação agroindustrial, destacando-se estofados automotivos, sacos para embalagem na indústria alimentícia (sacos de cebolas, batatas), forrações, telas de proteção, redes… E, assim, a malharia está cada vez mais presente em nossa rotina.

História da malharia

Não é muito preciso quando os tecidos em malharia apareceram, porém, foram encontrados, nas tumbas do Alto Egito, um xale e um “boné” de malha com 2550 anos de idade e alguns “calções”, de aproximadamente 1000 A.C., provenientes das primeiras escavações de Champollion no Egito, estão expostos no museu de Louvre (Paris).

Vale ressaltar que até o século XVI, os tecidos em malharia (gorros, xales, cachecóis, casquetes, calções,…) eram produzidos manualmente e o primeiro modelo de máquina de tricotar, que se tem notícia, surgiu nessa época, idealizado por Willian Lee, pastor protestante que tentava auxiliar sua esposa na produção de tecidos.

Os tipos de malhas

As malhas têm sua estrutura formada pelo entrelaçamento dos fios e as malhas se diferenciam dos demais tecidos pela elasticidade natural que possuem, inerente ao seu processo de construção. A malharia é classificada em dois tipos, de acordo com o processo de produção e o entrelaçamento dos fios:

  • Trama

As máquinas utilizadas no processo de fabricação são as retilíneas e as circulares de pequeno e grande diâmetro. A principal característica da malharia por trama está no sentido da formação do entrelaçamento, ou seja, a tricotagem se processa no sentido da trama, ou no sentido da largura do tecido.

  • Urdume

Essas malhas são formadas no sentido do urdume, ou sentido do comprimento do tecido e no seu processo de fabricação são utilizadas máquinas do tipo Kettenstuhl ou simplesmente ‘Ketten’. Porém, além da classificação da tecnologia empregada na formação das malhas.

Veja outros fatores que diferenciam a técnica de entrelaçamento da malharia:

  • Agulhas
    • Trama: As agulhas são alimentadas por um mesmo fio ou grupos de fios.
    • Urdume: As agulhas são alimentadas por um ou mais fios.
  • Largura da meia malha
    • Trama: É fixada pelo número de agulhas em trabalho ou pelo diâmetro da máquina.
    • Urdume: É fixada pelo número de fios em trabalho
  • Malhas
    • Trama: São formadas sucessivamente, pelo mesmo fio ou grupo de fios
    • Urdume: São formadas simultaneamente, por fios diferentes
  • Destricotagem
    • Trama: Os artigos são sempre desmalháveis. Uma vez tricotados, podem ser destricotados.
    • Urdume: A maioria dos artigos são indesmalháveis, uma vez tricotados, não podem ser destricotados
  • Estabilidade dimensional
    • Trama: Os tecidos possuem pouca estabilidade dimensional e se deformando facilmente
    • Urdume: Os tecidos possuem boa estabilidade dimensional não se deformam facilmente

Estas diferenças entre os tecidos em malharia é que fazem com que, algumas vezes, não se adaptem a certos tipos de aplicação, sendo necessário buscar outros tecidos como maior consistência.

Quer saber mais sobre os tecidos em malharia? Então acompanhe nossos outros conteúdos relacionados e descubra tudo que precisa saber. Para encontrar outros temas interessantes para você, assine nossa newletter e fique sempre bem informado.


Deixe seu Comentário.



Comentários no Facebook